Living Dead Girl - Elizabeth Scott

Posted by Kynhaa on sexta-feira, 30 de abril de 2010. Filed under:
6 Comments

Eu acabei de ler esse livro não faz nem 10 minutos, e ao terminar de lê-lo, confirmei uma coisa que já sabia. Elizabeth é minha escritora favorita, quero ser como ela quando eu crescer.

Sinopse:

Era uma vez, eu era uma menininha que desapareceu.

Era uma vez, o meu nome não era Alice.

Era uma vez, eu não sabia como tinha sorte.

Quando Alice tinha dez anos, Ray levou-a de sua família, seus amigos ― a sua vida. Ela aprendeu a desistir de todo o poder, para suportar toda a dor. Ela esperou que o pesadelo acabasse.

Alice agora tem quinze e Ray ainda a tem, mas ele fala mais e mais da sua morte. Ele não sabe é o que ela anseia. Ela não sabe que ele tem algo mais assustador do que a morte em mente para ela.

Esta é a história de Alice. É uma que você nunca ouviu falar, e que você nunca, jamais esquecerá.

Nota:5/5

Conheci o trabalho da Elizabeth com o livro Love You Hate You Miss You, eu já tinha lido a sinopse de Living dead girl já faz um tempo, mas só hoje tive a coragem de lê-lo.

Eu pensava que o livro seria muito pesado por abordar a pedofilia- um tema que hoje em dia é muito discutido - e confesso que eu tinha algum receio mas Elizabeth tem um forma de escrever tão especial que torna as coisas mais repugnantes de se ler em algo fluido e fácil.

Entretanto, essa não é uma história de amor. Você não irá rir em nenhum momento, na maior parte das vezes você irá se sentir impotente e mal ao lê-lo mas mesmo assim, você será incapaz de larga-lo. Porque? Por que, você irá torcer pela Alice com todas as suas forças, ficará ansiosa para chegar a ultima página e ler avidamente as ultimas linhas para encontrar um final feliz.

A vida da Alice não é fácil- ela foi retirada de casa, dilacerada do pior jeito que alguém poderia ser, ameaçada e Ray é um fdp, desculpa o palavrão mas ele é e eu não consigo encontrar um adjetivo tão desprezivo que possa se encaixar nele - eu sempre vi nos jornais histórias parecidas como a dela, e quando isso acontece eu fico enojada por um instante, fico triste por a vida de uma garotinha ter sido destruída, mas assim que termina o jornal o comercial entra em cena e logo após temos a novela, logo esquecemos do rostinho angelical que vimos no noticiário e fim. Voce esquece.

Mas essa história é diferente, apesar de não ser real, Elizabeth nos transporta para um mundo desconhecido, longe de fantasias, sonhos e sim da dura realidade - que graças a deus eu nunca passei por nada parecido - que algumas crianças sofrem, e você se sente mal por ser tão felizarda. Você diz para si mesma, é apenas um livro mas lá no fundo sabe que nesse momento há milhares de Alices lá fora.


Eu chorei quando terminei, e só de escrever essa resenha eu já estou chorando novamente, não é uma história bonita de se ler, e talvez seja por isso que eu recomendo porque como a própria sinopse diz: você nunca, jamais esquecerá.


TRÊS LIÇÕES DE VIDA:

1. Ninguém vai vê-la.
2. Ninguém vai dizer nada.
3. Ninguém vai te salvar.
Eu sei o que as histórias de Era Uma Vez dizem, mas elas mentem.
Isso é o que as histórias são, você sabe. Mentiras.
Olhe para isso, quatro lições de vida. Agora você me deve.


Quinta em outra língua #1 The Summoning

Posted by Kynhaa on quinta-feira, 29 de abril de 2010. Filed under:
12 Comments

Ah, mudei meu layout, e este é o que mais gostei é o que mais combina comigo, espero que voces gostem também.
Eu deveria ter feito o post desse meme semana passada, li o livro e quando chegou quinta feira eu fiz outro post no lugar, tava jurando que era qualquer outro dia menos quinta feira.


O livro que escolhi para estrear o meme quinta em outra ligua criado pela Giu do amount of words foi The Summoning escrito por Kelley Armstrong.

Sinopse:


Meu nome é Chloe Saunders e minha vida nunca mais será a mesma de novo.
Tudo o que eu queria era fazer amigos, conhecer garotos, e continuar sendo comum. Eu nem sei mais o que isso significa. Tudo começou no dia que eu vi meu primeiro fantasma – e o fantasma me viu.
Agora há fantasmas por toda a parte e eles não me deixam em paz. Ainda por cima, de alguma maneira eu fui trancafiada na Casa Lyle, um "lar especial" para adolescentes perturbados. Mas o lar não é o que parece. Não diga a ninguém, mas eu acho que meus colegas não são bem o que parecem. A pergunta é, de que lado eles estão? Sou eu quem deve descobrir os perigosos segredos por trás da Casa Lyle... antes que seus esqueletos voltem para me assombrar.


Nota: 5/5

Aspirante a Escritor #2

Posted by Kynhaa on terça-feira, 27 de abril de 2010. Filed under:
13 Comments

A entrevistada para aspirante a escritor desta terça feira, é alguém que além de ser uma otina escritora é minha amiga. Rá. Conheci a Iresenha pela comunidade twilight (Eduardo cunha prestando pra alguma coisa-n) já tem mais de um ano e eu sempre fui cobaia dela, ela sempre me mostrava seus textos. Se eu disser que no fundo mas bem lá no fundo foi ela quem realmente me inspirou pra fazer essa coluna, conhecendo ela do jeito que conheço, eu sei que ela vai ficar muito metida. Sem mais delongas, conheçam...



Iris maria Figueiredo 17 anos, caloura de jornalismo e blogueira, tem dois livros em andamento, um de gênero dramático e o outro é um Chick-Lit.

Dividindo o Mel conta a história de Melissa Prudente, estudante de jornalismo e apenas dezenove anos, que já foi abandonada por dez namorados nos últimos dois anos. Melissa decide que ou ela encontra um cara de verdade ou ela vai parar de namorar por um bom tempo e se concentrar na faculdade. Um chick-lit brasileiro, que se passa em Niterói, no Rio de Janeiro.
Para ler prólogo + primeiro capitulo aqui.


Com quantos anos você começou a escrever?Desde que eu aprendi a escrever, eu escrevo coisas. Quando era criança amava histórias em quadrinhos - e acho que até hoje eu gosto. Eu criava, desenhava e escrevia histórias em quadrinhos, pintava, fazia tudo, e guardava pra mim. Nessa época eu tinha uns 6, 7 anos... É algo que eu sempre gostei de fazer.

Sei que você tem dois trabalhos em andamento e um deles é Dividindo o Mel. Como você decidiu a temática do livro?
Eu adoro Chick-Lit, e eu tenho mania de começar a escrever coisas e deixar para lá. Mas eu comecei a escrever Dividindo o Mel e me identifiquei muito com a Melissa. A temática do "pé-na-bunda" é algo que eu acho divertido e ao mesmo tempo todo mundo passa. É um tema universal, acho que foi por isso que eu decidi continuar. Já a outra história, é porque eu simplesmente adoro um drama. Estou quase terminando, e foi mais pelo prazer de escrever.

Se eu ficar - Gayle Forman

Posted by Kynhaa on quinta-feira, 22 de abril de 2010. Filed under:
7 Comments

Resenha:

Já li muitas resenhas em blogs sobre If I stay, e a única coisa que tive certeza, é: Ou você ama, ou odeia! Criticas negativa pra cá, criticas positiva pra lá, resolvi ler o livro e tirar minhas próprias conclusões.

Mia toca violão cello, ama música clássica, diferente de toda sua família que gosta do bom e velho rock in roll, boa filha, tem um namorado muito fofo, mas depois de um trágico acidente ela perde toda sua família, como ela sabe disso? Após o acidente ela acorda e vê os corpos dos seus pais machucados e cheios de sangue, vê seu irmãozinho entre a vida e a morte, e alem disso, vê seu próprio corpo jogando na sarjeta. O livro aborda um tema muito interessante, a experiencia fora do corpo e ao longo da história podemos vê Mia olhando tudo o que acontece ao seu redor, ficamos conhecendo seu passado através de suas lembranças, o como ela sente quando observa cada um dos seus parentes na sala de espera, ou quando seu namorado arma uma sena para poder vê-la.


Uma vez eu li que não gostaram muito do livro porque a família da Mia era muito er, era muito parecida com aquelas famílias que tinha saído de uma comercial de creme dental ou algo assim, sabem, todos muito felizes e sorrindo com seus lindos dentes brancos, não vou negar que eles realmente parecem ter saído de um comercial do tipo, mas sabe o que mais? Eu nunca passei por nada parecido, mas duvido muito que se eu estivesse numa situação parecida, iria lembrar dos momentos ruins que passei com minha família. Estou vendo meu corpo todo quebrado numa cama, sei que minha meus pais morreram e eu estaria lembrando como eles nunca me deixaram sair quando eu queria ou todos os castigos que eles me deram ou todas as brigas e eu te odeio que já disse pra eles, é, eu acho que não.

O que mais gostei em Se eu ficar, é que o leitor pode realmente se colocar no lugar dela e pensar: E se fosse eu? O que eu faria? Alguns acham que a Mia não é forte o bastante, eu acho o contrário. Se fosse eu, não acredito que teria forças suficientes.


Se eu ficar é o tipo de livro que irá fazer você se emocionar-ounão, super recomendo, e se você for uma chorona assumida como eu, recomendo uma caixa de lenços também.



Nota: 4,5/5

Aspirante a Escritor #1

Posted by Kynhaa on terça-feira, 20 de abril de 2010. Filed under:
11 Comments

Blogs,Fanfictions , Comunidades no orkut são um dos meios que um aspirante a escritor tem de mostrar seu trabalho e até mesmo se tornar reconhecido com Meg cabot que já confessou que escrevia fanfics, Cassandra Clare - que no mundo fanfiction é mais conhecida por sua trilogia Draco Dormiens do que por sua trilogia Mortal Instruments- e não podemos esquecer a blogueira que ganhou um Oscar,Diablo Cody. Há um grande numero de aspirantes a escritores, um exemplo disso é o Nossos Romances Adolescentes. Que há dois anos "Jovens" escritores dos mais novos aos mais velhos postam seus textos, trocam dúvidas com outros escritores e conhecem outros trabalhos. E foi por isso que resolvi fazer esta coluna no blog. A cada semana entrevistarei um aspirante lhe dando a oportunidade de mostrar seu trabalho, afinal, não é pelo simples fato de não ser reconhecido e ter seu trabalho publicado que não mereça atenção.


Semana passada, não sei bem como, entrei em uma comunidade que se chamava Rubro, li a descrição e vi que se tratava de um livro. Fiquei curiosa, entrei em contato e consegui o livro. Gostei muito por sinal, logo postarei a resenha para vocês. Mas hoje irei lhes apresentar a autora do livro: Patricia Camargo, 14 anos, portovelhense está na primeira série do ensino médio e autora de rubro.

Quando você começou a escrever?
bom, eu sempre fui apaixonada por romances épicos, então eu comecei a fazer esboços sobre o rei Artur com onze, doze anos. foi depois de ler Evernight, da Claudia Gray, no ano passado, que eu decidi escrever o Rubro.

Qual a opinião da sua mãe, ela lhe incentiva? Ela sabe que vc escreve?
No começo ela não sabia. simplesmente no fim do ano passado, quando terminei o rubro, cheguei e disse: mãe, eu escrevi um livro. E claro que primeiro ela me olhou esquisito, e depois perguntou: quanto é que vs ganha com isso ? Mas basicamente eu tenho apoio dos meus pais, principalmente da minha avó, que me ensinou a inventar histórias...

Sua avô então seria sua maior influência? Ou suas influências são escritores do mesmo gênero literário que você escreve?
eu acho que voce cresce meio influenciada já que eu ouço as histórias dela desde que eu nasci, mas principalmente acho que é o meu senso crítico. Estou sempre duvidando das coisas, e tentando provar as coisas absurdas. Acho que a minha influência foi querer fazer tudo bem feito, e não com pontas soltas como vários trabalhos literários que li.
Voce escreveu Rubro com a Bruna, como funcionava? É difícil escrever em conjunto?
Quem escreveu Rubro, Lótus e está escrevendo o Ônix sou eu, na verdade. A Bruna... é uma assessora, mais ou menos. Mas infelizmente ela não é tão empenhada na Saga como eu, ou até mesmo outras fãs.
Como surgiu a ideia base da Saga evanescente? Porque vampiros?
Porque... Porque eu me lembro como se fosse hoje o dia em que eu li no livro do Bernard Cornwell a palavra vampiro. E então a minha mente começou a viajar... a viajar... e eu fui apresentado a séria Georgina Kincaid da Richelle Mead... O que foi um passo para conhecer Evernight, a raiz das minhas ideias.

Voce está correndo atras de editoras, está tendo aceitação? As editoras têm preconceito com os escritores Brasileiros? afinal é mais fácil trazer um livro que já é sucesso no exterior do que apostar em algo que não pode trazer lucros.
Então, o preconceito é gigantesco. Não sei se posso citar nomes, mas um exemplo do preconceito é a Intrínseca, que é uma editora brasileira que não aceita livros brasileiros de modo algum. Nós entramos então em contato com o grupo editorial Record, que foram completamente atenciosos conosco. Mas ainda não temos uma resposta.

Voce tem apenas 14 anos, já escreveu Rubro, está finalizando Lótus e Ônix já está em seus planos, isso tudo é apenas diversão ou você pretende trabalhar futuramente apenas como escritora?
Eu sou uma pessoa prática. Escritoras não conseguem se sustentar muito bem, não ganhando somente de 10% a 20% do lucro total dos seus livros. E escrever... Não consigo ficar nem um dia sem fazer isso. Mas eu sempre planejei ingressar em uma universidade. Agora a de direito está nos meus planos. Quem sabe não serei uma juíza-escritora ?

Qual escritor(a) voce mais admira e indica?
Bom, eu realmente gosto do trabalho da Nalini Singh. Eu devorei o livro dela em duas horas. Richelle Mead também é um exemplo, conseguiu desenterrar mitos como o da Succubus e Incubus que eu nunca havia ouvido falar. Mas uma favorita eu realmente não tenho, exceto talvez o Bernard Cornwell.

O que voce diria para as/os aspirantes a escritores que estão escrevendo textos, publicando em blogs e comunidades e correndo atrás das editoras?
Eu diria não desistam ! Às vezes dá vontade de jogar tudo pro ar, mas o que você precisa é um ligeiro empurrãozinho. Eu acho que se deve ouvir a opinião dos outros, mas não de amigos. Amigos dizem Oh, que perfeito ; mas nem sempre eles entendem do assunto. Nunca tive ninguém lá pra criticar o que eu escrevia, então eu tive que escrever muitas vezes pra sair algo bom. E talvez por isso eu queira ajudar. Nesta semana mesmo uma moderadora da comunidade do Rubro e eu fizemos uma comunidade para reunir os jovens escritores, incentivando, entende? E talvez nós até possamos conseguir chamar a atenção das editoras pra eles. O que seria maravilhoso.

Deixe uma mensagem para os leitores que ainda não leram Rubro.
Uau, difícil. Bem... Rubro é um tanto diferente, em minha opinião. É claro que é uma pequena introdução... pra tudo o que virá. Mas ainda assim foi maravilhoso pra mim escrevê-lo. Eu rim junto com os personagens, eu me zanguei junto com os personagens, eu quase chorei junto com os personagens (mas o porque vocês descobrirão se ler !) e isso é o que o tornou tão especial para mim. E dividir com alguém essa felicidade não tem preço.

Sinopse de Rubro
- Rubro

O que você faria... se um passado esquecido... voltasse para te assombrar? O que você faria... se um estranho... fosse a sua única esperança?

Um conto de morte.
Um conto de mistérios.
Um conto de paixões proibidas.
Um conto rubro.

Melissa nunca pensou que as coisas esquecidas poderiam voltar à tona
um dia. Quanto mais voltar em um lugar como a Academia Búlgara. Mas ela
também nunca planejou apaixonar-se por um estranho insuportável,
certo?
Errado.
Ou melhor, aquela não era a primeira vez que ela se apaixonava pelo
mesmo estranho. E não era a primeira vez que estaria no lugar errado, na hora errada.

Se ficou interessado em ler Rubro, voce deve mandar um email para
sagaevanescente@hotmail.com ou mais informações na comunidade oficial
------------------------------------------------------------------------------------------

Bom, é isso. Quero comentários sobre o que vocês acharam da ideia, e se você aspirante a escritor ficou interessado em mostrar um pouquinho mais sobre voce e seu trabalho, mande um email para talktomyhand@live.com (sim, meu msn é toxco.)

:*

Quero Ler #1

Posted by Kynhaa on domingo, 18 de abril de 2010. Filed under: , , ,
5 Comments


A iris Figueiredo do 365 livros por ano teve a ideia de fazer um meme, que consiste em postar quinzenalmente alguns livros que estão marcados no skoob como vou ler. Com quase 350 livros marcados no vou ler do meu Skoob, acabei me encontrando em uma situação difícil já que não posso postar todos aqui para vocês conhecerem, mas selecionei alguns que estou morrendo de vontade de ler- outros nem tanto, mas se não ler agora não lerei mais.

Titulo: O Pacto
Autor: Jodi Picoult

Um romance arrebatador, que hipnotiza o leitor da primeira à última página. A consagrada Jodi Picoult narra a história do casal Emily Gold e Chris Harte, que se conhecia desde o primeiro dia de vida. A amizade das duas famílias parecia ser das coisas mais sólidas do mundo. Ninguém se surpreendeu quando os dois começaram a namorar. Pareciam ter nascido um para o outro. Mas tudo desmoronou numa madrugada, quando Emily morreu com um tiro na cabeça bem ao lado de Chris, encontrado desmaiado pela polícia. Assassinato? O menino garante que havia um pacto de suicídio entre ele e a namorada. Ambos deveriam ter morrido naquela noite. Alguém falhou. Onde está a verdade?



_____________________________________________________________

Titulo: Living dead Girl
Autor:
Elizabeth Scott

Era uma vez, eu era uma menininha que desapareceu.

Era uma vez, o meu nome não era Alice.

Era uma vez, eu não sabia como tinha sorte.

Quando Alice tinha dez anos, Ray levou-a de sua família, seus amigos ― a sua vida. Ela aprendeu a desistir de todo o poder, para suportar toda a dor. Ela esperou que o pesadelo acabasse.

Alice agora tem quinze e Ray ainda a tem, mas ele fala mais e mais da sua morte. Ele não sabe é o que ela anseia. Ela não sabe que ele tem algo mais assustador do que a morte em mente para ela.

Esta é a história de Alice. É uma que você nunca ouviu falar, e que você nunca, jamais esquecerá.

_______________________________________________________________

Titulo:Rules of Attraction- Triologia Perfect Chemistry , #2
Autor: Simone Elkeles

Quando Carlos Fuentes retorna para a E.U.A depois de ter vivido no México durante um ano, ele não quer ter nenhuma ligação com seu irmão mais velho, Alex, que o colocou em uma escola no Colorado. Carlos gosta de viver a sua vida no limite e quer seguir seu próprio caminho - assim como Alex fez. Então ele conhece Kiara Westford. Ela não fala muito e é completamente intimidada pela maneira selvagem de Carlos. Enquanto conhecem um ao outro, Carlos pressupõe que Kiara acha que ela é boa demais para ele, e se recusa a admitir que ela poderia ficar com ele. Mas ele logo percebe que ser ele mesmo é exatamente o que Kiara precisa agora.





________________________________________________________________

Vou tentar ler em ordem de postagem, O pacto é o único livro que não estou tão empolgada para ler, mas como já tenho ele, vou ler e logo postarei resenha aqui. Living dead Girl é o livro de uma das minhas autoras favoritas e pelo tema é um dos livros mais impactantes dela. Rules of Attraction foi lançado essa semana, e desde de que li Perfect Chemistry-resenha aqui- to contanto os dias pra lê-lo, fico babando no trailer do livro.

Fallen - Lauren Kate

Posted by Kynhaa on quarta-feira, 14 de abril de 2010. Filed under:
17 Comments

Sinopse:
Luce, de 17 anos, é uma nova estudante de Sword & Cross (Espada e Cruz), um internato em Savannah, Georgia. O namorado de Luce morreu em circunstancias suspeitas, e ela carrega a culpa de sua morte enquanto se move pelos corredores pouco amistosos de Sword & Cross, onde cada estudante parece ter uma história desagradável. Mas ao conhecer Daniel, um bonito estudante, Luce sente que há uma razão para estar lá - ainda que ela não sabe qual é.

Daniel é um anjo caído, condenado a se apaixonar pela mesma garota a cada 17 anos ... e vê-la morrer. E Luce é uma garota imortal, condenada a reencarnar de novo e de novo em uma garota mortal que não tem nem ideia de que realmente é.

____________________________________________

Resenha: Quando vi a capa e a sinopse deste livro disse pra mim mesma que precisava dele, ruía as unhas esperando pelo lançamento (ok, meio dramático, roo unha todo o tempo). Comprei o livro na pré-venda e esperei, mas quando saiu o ebook na net, não aguentei esperar e comecei a ler.

Estavam apenas Luce e seu namorado em uma cabana que misteriosamente incendeia, ela é a unica sobrevivente e não se lembra de nada do que aconteceu, sendo assim ela é mandada para o internato Sword & Cross, (para jovens delinquentes) mas Luce sabia que não estava sozinha, as sombras que sempre perseguiram-a estavam lá naquele dia, e elas estavam no internato também, ela nunca comentou com ninguém sobre elas. Num lugar pouco amistoso, Luce faz amizade com Ariane (diva) e Cam, sem contar que ela se sente extremamente atraída por Daniel, um garoto misterioso que teima em ignorar-la, e ela meio que acaba em um triangulo amoroso.

A narrativa não é nem um pouco cansativa, o mistério em torno da historia não te deixa largar o livro e te faz ansiar por mais, mais e mais. Mas é quando chega no final que voce se decepciona, é como se ficasse um lacuna a ser preenchida. Quando terminei fiquei segurando o livro com cara de pateta e me vi perguntando: Ok, cade o resto? tá brincando que é só ISSO!!

Fallen tinha tudo para ser um dos meu livros favoritos, mas infelizmente isso não aconteceu. Criei tantas expectativas em torno da historia para no fim ser algo tão sem noção e bobo. (Na boa, minhas teorias era melhores,hahah) Toment, o segundo livro da série, será lançado este ano, e irei comprar apesar de não está nem um pouco ansiosa, mas quero ver qual vai ser o desenrolar da história, se continuar do mesmo jeito que Fallen sinto que não irei comprar os outros dois que virão a seguir.

Sinopse:

Personagens:


Climax:


Escrita:

Capa:


Geral:

A melodia do adeus - Nicholas Sparks

Posted by Kynhaa on segunda-feira, 12 de abril de 2010. Filed under:
7 Comments

Ganhei A melodia do Adeus no natal, e li ele no começo de Janeiro, mas não sei porque não conseguia fazer a resenha dele, hoje acordei determinada a fazer isso.

Sinopse:

Com apenas dezassete anos, Verónica Miller - ou «Ronnie», como é carinhosamente chamada - vê a sua vida virada do avesso quando o casamento dos pais chega ao fim e o pai se muda da cidade de Nova Iorque, onde vivem, para Wrightsville Beach, uma pequena cidade costeira na Carolina do Norte. Três anos não são suficientes para apaziguar o seu ressentimento, e quando passa um Verão na companhia do pai, Ronnie rejeita com rebeldia todas as suas tentativas de aproximação, ameaçando antecipar o seu regresso a Nova Iorque. Mas será na tranquilidade que envolve o correr dos dias em Wrightsville Beach que Ronnie irá descobrir a beleza do primeiro amor, quando conhece Will, e vai afrouxando, uma a uma, todas as suas defesas, deixando-se tomar por uma paixão irrefreável e de efeitos devastadores. Nicholas Sparks é, como sabemos, um mestre da moderna trama amorosa, e, em A Melodia do Adeus, usa de extrema sensibilidade para abordar a força e a vulnerabilidade que envolvem o primeiro encontro com o amor e o seu imenso poder para ferir… e curar.



Resenha: Quem já leu algum livro do Nicholas conseguirá me entender quando digo que é meio impossível não chorar. Já tinha lido três livros escritos por ele - Um momento inesquecível, O caderno de Noah, Palavras que nunca te direi - e em todos chorei. Com A melodia do Adeus não foi diferente.

Vou confessar que no começo eu achei a leitura bem maçante, tanto que lia um pouquinho e parava. A historia em si na verdade é um tanto quanto clichê( não tanto porque no final não sabemos que é que vai morrer), uma garota rebelde wannabe, que se vê forçada a ir passar o verão com o pai, com quem não falava a anos, e esbara acidentalmente em um garoto (lindo e maravilhoso, aiaiaiai will, Nicholas tem que fazer uma fabrica de homens perfeitos-q) e depois de alguns encontros velando ovos de tartaruga se apaixona perdidamente, mas é claro os obstáculos começam por aparecer e um deles é Marcus ( garoto repugnante, odiei ele!) e Susan, a mãe de Will. Mas com o passar do tempo ronnie começa a compreender o pai e lhe permitindo uma segunda chance eles voltam a se entender o interessante é que não é algo forçado, podemos acompanhar o amadurecimento dela. Devo lhes dizer que acho que um fator que me levou a enrolar para ler o livro é a escrita, dois anos morando aqui e ainda não consegui me acostumar com o português de Portugal, acho muito "mecânico" e não consigo me envolver, mas mesmo assim, logo que a historia começou a se desenvolver e não conseguir mais largar o livro e tentei superar a estranheza e enfim consegui termina-lo. E é sem brincadeira que digo que alguns capítulos antes do final já estava soluçando.

Uma coisa que eu gosto nos livros do Nicholas é que ele sempre tentar passar uma mensagem de reflexão e muito sutilmente nos faz conhecer a a palavra de Deus. A melodia do adeus é um livro emocionante que nós faz refletir as diferentes formas de amar.

Recomendo!

Nota: 5/5

A melodia do Adeus tem como título original The last Song que esse mês chega aos cinemas estrelado por Miley Cyrus - eu não gosto muito dela como atriz mas creio que ela irá interpretar bem a Ronnie - pelo que andei lendo os direitos foram comprados pela editora Novo Conceito e provavelmente o titulo será A última canção, já que é este o título do filme. Mas realmente não sei.


Trailer

Beautiful Creatures - Kami Garcia & Margaret Stohl

Posted by Kynhaa on sexta-feira, 9 de abril de 2010. Filed under: , , , , ,
10 Comments

Layout novo, não é muito legal, na verdade é bem tosco, porque eu que diz. Mas é melhor que nada. O livro que irei falar hoje já li faz um tempinho, mas eu o amo e queria dividir ele com vocês.
Sinopse:
Em uma cidade sem surpresas,um segredo poderá mudar tudo.

Alguns amores estão destinados … outros estão amaldiçoados. Não havia surpresas em Gatlin. Pelo menos, era o que eu pensava. Acontece que, eu não poderia estar mais errado. Havia uma maldição. Havia uma garota. E no final, havia uma sepultura.

Lena Duchannes é diferente de qualquer um que a pequena cidade do sul de Gatlin já viu, e ela está lutando para esconder o seu poder e uma maldição que assombra a sua família por gerações. Mas mesmo dentro dos jardins descuidados, pântanos obscuros, cemitérios e ruínas esquecidas do Sul , um segredo não pode ficar escondido para sempre. Ethan é inexplicavelmente atraído por ela e está determinado a descobrir a conexão entre eles.

Resenha: Quando li a sinopse desse livro fiquei logo entusiasmada e me vi contando os dias para poder lê-lo. Com quase 600 páginas uma palavra que poderia definir o livro seria: envolvente.

Do começo ao fim o livro nos proporciona a sensação de que fazemos parte da historia e não estamos apenas lendo-a. O ritmo é praticamente o mesmo até chegar aos últimos capítulos que é onde o clímax central ocorre, mas não que isto seja ruim, muito pelo contrário ao longo dos primeiro capítulos somos apresentados a Ethan, um garoto normal vivendo uma vida monótoma e cotidiana que sonha em um dia sair da pequena cidade em que nasceu. Mas já fazia algum tempo em que tinha o mesmo pesadelo, sonhava com uma garota caindo e pedindo por ajuda mas nunca via o seu rosto, o pesadelo era tão real que chegava a acordar com lama em suas mãos. E é no primeiro dia de aula em que vê sua vida mudar ao se deparar com Lena Duchannes a nova garota na escola. Em meio a segredos, conversas telepáticas, e pequenos flashsbacks do que aconteceu a 100 anos atrás, como disse, nos envolvendo a cada página ansiando pelo próximo capitulo mas adiando o fim para não ter que fechar o livro.

A historia deixou algumas pontas soltas,( não muitas, apenas o suficiente para aguçar a curiosidade) mas novamente não creio que isso seja ruim. Pois assim teremos mais explicações nos próximos livro - pelo menos eu espero que sim- uma dela foi os "riddles" que particularmente gostaria que houvesse mais explicações sobre eles. E tenho a sensação de isto irá ocorrer, o proprio final do livro já nos deixa com agua na boca por querer Beautiful Darkness.

São poucos os personagens principais que gosto, eles costumam me irritar, mas gostei muito do Ethan, ele é um garoto de 16 anos "real" diferente dos muitos livros que tenho lido ele não é "forçado" não é "perfeito" não é forte, tem uma voz rouca, misterioso que nos faz suspirar até quando diz: ai. Ele é comum, e eu andava sentindo falta disso de um tempo pra cá ( não que eu não goste desses personagens lindos e maravilhosos que lemos em YA, mas sejamos realistas, eles não existem. ) e o Ethan é assim, ele é fofo mas chato, tem defeitos e qualidades e a Kami G e Margaret S merecem todo o reconhecimento por isso, afinal se os homens não conseguem compreender as mulheres, nós tão pouco conseguimos compreende-los, e elas como mulheres não sei como conseguiram escrever pelo ponto de vista masculino.

Beautiful Creatures será publicado no Brasil pela editora Galera Record com o título de Dezesseis Luas. (que na verdade faz mais sentido que o proprio título original, quando voce, caro leitor lêr, irá compreender.) E teve seus direitos comprados pela Warner. O que me deixa triste, porque putz é a Warner, a mesma que produz Harry Potter e acho que nem preciso comentar, apenas isto basta.

Resumindo e concluindo Beautiful Creatures é um livro para para quem gosta de um pouco de romance, mistério e um Q de sobrenatural. Recomendo.

Nota: 4.5/5

Suposta capa de Last Sacrifice + O beijo das Sombras - Richelle Mead

Posted by Kynhaa on segunda-feira, 5 de abril de 2010. Filed under: , , ,
9 Comments


Os rumores são que está é a capa do ultimo livro (The Last Sacrifice - O último sacrificio.) da Série vampire academy conhecida no Brasil como Academia de Vampiros. Particularmente não gostei muito, supostamente é a Lissa - picolé-de-chucho- na capa, não que seja feia segue a mesma linha dos outros títulos, mas também não é nada do que eu esperava já que é o ultimo livro da série tendo como ponto de vista a Rose. Já que não poderia ser Rose&Dimitri porque seria um megaspoiler, gostaria mais se fosse pelo menos Rose&Lissa. Saiu também a suposta sinopse, mas decidi não coloca-la aqui, porque quem não leu pode considerar spoiler.

Well, admito que quando vi a capa e a sinopse a minha ficha meio que caiu, minha série favorita de vampiros está chegando ao fim. E isso me deprime. Só não me deixa tão deprimida porque sei que ainda haverão mais seis livros sobre Academia de Vampiros. Não sobre a rose, claro. Mas com outro personagem da série. (
Que seja o Adrian-q)

E foi por isso que hoje decidi falar sobre está série que eu tanto gosto.




Primeiramente, devo lhe avisar, essa série não contém seres brilhantes(aka Edward globeleza) nem marcas na testa, ou seja, se voce gosta deste tipo de vampiro, Afaste-se! Ao ler Academia de Vampiros você conhecerá vampiros de verdades e seu mundo nunca mais será o mesmo.

A sociedade vampírica da série é dividida em três classes: Strigois, Moroi e Dhampir. Deixa-me explicar melhor. Os Strigois são são os vampiros que seguem a lenda a risca, não saem a luz do sol, morrem degolados ou com uma estaca no coração, são malignos, perversos tem prazer em matar. Os moroi são a realeza, vampiros que não matam por sangue apesar de precisar para sobreviver, mas a necessidade não é tão grande quanto a dos strigois, podem sair a luz do sol, mas por pouco tempo, não são incinerados imediatamente, mas a luz incomoda. E por fim, temos os Dhampir, que são considerados os meio-vampiros, pois é um tipo de mistura, um dhampir nasce quando um Moroi se envolve com um humano. Os Dhampir possuem a aparência de um humano, mas sem suas fraquezas, possuem a força e habilidade de um vampiro nem precisam de sangue para sobreviver e claro, podem sair a luz do sol. E é por isso que eles são aptos para serem os guardiões da realeza Moroi.

E é muito nome diferente, voce não entendu nada?! Quando voce estiver lendo irá se acostumar. (Isso é uma indireta pra uma certa loira blogueira que lê 365 livros)

Nos focando agora na história, conhecemos Rose, uma Dhampir destemida lutando para salvar sua melhor amiga a princessa Lissa Dragomir, a ultima da descendente de sua família. Não faziam muito tempo que elas tinha fugido da escola, coisa que ninguém nunca tinha feito. E acabaram por serem encontradas e levadas de volta, é ai que nossa história começa.

Quando elas voltam para a escola onde os morois estudam e aprendem suas habilidades( terra, água,fogo e ar.) os dhampir treinam para um dia vir a se tornarem guardiões dos Morois. Mas o que ninguém sabe é que na escola se esconde o verdadeiro perigo, e foi por isso que elas fugiram. O que ninguém intende é porque, já que a escola é o lugar mais seguro para eles, enquanto que no mundo lá fora elas poderiam ser atacadas por strigois a qualquer momento, mas elas tinham seu motivos, que ao decorer da história vamos descobrindo.

Enquanto isso vemos Rose treinar arduamente com o Dimitri - seu treinador camarada, e o guardião que as trouxe de volta para a academia, ele é considerados o mais "fodão" guardião do momento..além de ser lindo, e misterioso, com seu sutaque russo. (Abana, Edward who?) Ela treina para um dia vir ser a guardiã de Lissa, a única descendente que restou de sua familia, que morreram num trágico acidente de carro. E para aliviar a pressão causada em cima dela, ela se corta mas encontra apoio na Rose e em Christian, um Moroi estranho e misterioso que faz o caração dela bater mais rápido.

Todos os personagem na historia apesar de parecerem que não tem muita importância eles tem, principalmente aquele porque quem vc não dá nada e pá! Eles acabam te surpreendendo. É claro que a rose é uma das minhas personagens favoritas, creio que ela está no topo da minha lista top 5 das melhores personagens femininas que eu admiro. Ela é do tipo que não tá nem ai, faz o que tem que fazer para defender Lissa, não pensa nas consequencias, é forte e determinada, sem contar com seu humor acido, com seu "doce" sarcasmo nos arrancar várias risadas. E é claro que já que elas estão nas escola, não poderia faltar aquelas pequenas intrigas (quem já passou pela ensino médio, sabe do que estou falando), amores complicados, segredos, deixam a historia divertida e entrigante a cada página, que devorei o livro, em uma única mordida.

Academia de Vampiros - O beijo das Sombras é o primeiro volume de uma série de seis livros, distribuido pela editora Nova Fronteira - que a trancos e barracos - estará lançando agora neste mês Aura Negra, o segundo volume da série, e que brevemente trarei a resenha para voces. Que é o meu livro favorito - Adrian ♥
Escrevi um mega texto, ninguém vai ler.

Recomendo!!

Nota: 4/5

Wicked Lovely - Melissa Marr

Posted by Kynhaa on sábado, 3 de abril de 2010. Filed under: , , , ,
5 Comments

Não gosto de Fadas, Elfos, Duendes e todos esses seres sobrenaturais com estranhas orelhas pontiagudas, reluzentes como o edward e no caso das fadas possuem asas. Nunca gostei da sininho do Peter Pan, nem Orlando bloom (com sua gostosura) em O senhor dos Anéis me fez gostar do Legolas (pra mim, ele tinha um caso com o Gimli) o unico Elfo que eu realmente gosto é do Dobby e agora, Keenan.


Em seus dezesseis anos, Aislinn se comporta aparentemente como qualquer garota de sua idade. Sai com suas amigas, gosta de música e tem um garoto em mira, ainda que desse último ela não esteja muito certa. No entanto, também tem algo nela que não tem nada de normal: assim como sua avó, Aislinn é capaz de distinguir os Élfos que vivem invisíveis entre os humanos, um dom incrível, que mais que um dom, é uma maldição, pois esses seres não gostam de serem descobertos e costumam castigar com crueldade as pessoas que detectam sua presença. Sendo assim, seguindo ao pé da letra as regras secretas que sua avó lhe ensinou - nunca atraia a atenção dos elfos, não responda aos elfos, não olhe para os elfos - Aislinn terá que se virar para passar despercebida, especialmente aos olhos de Keenan, o rei dos elfos, que se propôs a seduzi-la e convertê-la em sua rainha.



Partindo do principio de que não gosto de Elfos, não me pergunte o que me levou a ler este livro, porque nem eu sei. Apenas adorei a capa, mal li a sinopse e o peguei para ler. Quando vi que o assunto era sobre elfos, resolvi dar uma chance. O começo do livro é um tanto confuso, porém conseguiu me prender o suficiente para continuar a leitura.

A história nos apresenta Keenan, O Rei do Verão, lutando para encontrar sua Rainha, para assim obter o poder que lhe falta para lutar contra Beira, A Rainha do Inverno e sua mãe (mulher sádica e literalmente fria como o gelo). Keenan precisa encontrar o mais rapidamente sua rainha, ou então os elfos e os próprios humanos i sucumbirão diante da rainha de gelo.

Há novecentos anos Keenan procura a mortal que seria capaz de segurar o cetro que carrega o frio e ano após ano, século após século, falha miseravelmente, até que sua esperança cresce novamente ao encontrar Aislinn, uma garota diferente de tudo que estava acostumado a ter. Aislinn fugia dele, como o diabo foge da cruz, recusando todas as suas tentativas de cortejamento, mas ele não sabia o verdadeiro motivo: Ela fugia dele, por conhecer sua verdadeira forma, ash, tinha o poder da visão, via como os elfos costumava brincar com os humanos em sua forma invisível. Sua avó lhe ensinou tudo o que ela sabia sobre elfos e como não podia confiar neles e assim ela fez com Keenan, refugiando-se nos braços de Seth, (♥ não vou me aprofundar falando sobre o Seth porque ele é perfeito demais e é meu, não quero voces de olho nele) seu melhor amigo.

Apesar de ter lido um big spoiler no skoob que me deixou depressiva enquanto lia, o final ainda sim me surpreendeu. Recomendo.

O livro teve seus direitos comprados pela Universal, então brevemente estaremos teremos uma adaptação para o cinema, não sei se fico feliz ou triste sobre isso, já que as ultimas adaptações dos meus livros favoritos não são as melhores.

Marry & Max

Posted by Kynhaa on sexta-feira, 2 de abril de 2010. Filed under:
1 Comment

Um filme emocionante que poderia vir a ser um otimo livro sobre o verdadeiro valor da amizade.


Uma história de amizade entre duas pessoas muito diferentes: Mary Dinkle (voz de Toni Collette), uma menina gordinha e solitária, de oito anos, que vive nos subúrbios de Melbourne, e Max Horovitz (voz de Philip Seymour Hoffman), um homem de 44 anos, obeso e judeu que vive com Síndrome de Asperger no caos de Nova York. Alcançando 20 anos e 2 continentes, a amizade de Mary e Max sobrevive muito além dos altos e baixos da vida.




Apenas com a sinopse este filme chamou minha atenção, adoro animações e com Mary e Max não foi diferente. O filme todo se passa na década de 70, narrado em terceira pessoa (com poucas falas) uma trilha sonora de ótima qualidade e um cenário rico em detalhes constituído a base de massa - aquelas massinhas com que costumávamos brincar quando eramos crianças -assim é contada a história de Mary e Max.

Mary é uma garotinha de oito anos que mora no subúrbio Australiano, com uma mãe alcoólica, cleptomaníaca
e um pai ausente, (preocupado apenas com seu animais empalhados) sem nenhum amigo com quem conversar. Solitária e com várias perguntas- que toda criança de oito anos costuma ter - martelando em sua cabeça Mary um dia folheando a lista telefônica tem uma grande ideia, e determinada, acaba por escrever uma carta para uma pessoa que escolheu aleatoriamente na lista telefônica.

Do outro lado do Oceano, conhecemos Max, um homem de 44 anos, autista, obeso, desempregado que passa a maior parte do tempo sentando em seu sofá comendo chocolate, indo de vez em quando ao psicologo e trocando os peixeis no aquário que teimam em morrer. Sua vida muda ao receber a carta questionadora sobre como nascem os bebês, uma foto de uma garotinha e uma barra de chocolate. Após uma crise de ansiedade e dois dias depois, Max resolve responder a carta. Depois de anos e várias cartas com temas diversos indo do amor ao sexo, depressão, família,sentimentos e desentendimentos, nasce a bela amizade entre Marry & Max.


Uma amizade verdadeira capaz de ultrapassar obstáculos, como a distancia, diferença de idade. Nos mostrando que nada é impossível, basta você querer.


Mary e Max me emocionou muito, quando o filme acabou não parava de chorar, me fez pensar na vida e nas amizades que construí, senti mais saudades ainda da minha melhor amiga que está um oceano de distancia, e logo vim para a net e escrevi um depoimento para ela dizendo o quanto ela é importante para mim. Faça isso você também, você se sentirá muito bem.


deus nos dá familiares, graças a deus podemos escolher nossos amigos.

Selinho

Posted by Kynhaa on quinta-feira, 1 de abril de 2010.
3 Comments

Estou emocionada *pegando o lenço* foi a Livia do wishing a book que me ofereceu, devo repassar para mais 7 blogs, porém com a seguinte regra:

- ser meu seguidor;
- adicionar o link do meu blog (em qualquer lugar);
- repassar o selinho para mais 7 blogs seguindo as mesmas regras.



Os blog que escolhi são blogs que adoro visitar,então dedico este selinho para:

* Nanda (George piada interna-q) - Open book page
* Giu - amount of words
* ALine - meu cantinho da leitura
* Bruna - Supreme romance
* Cel - Uma janela Secreta
* Carla e todas as meninas do - Dica de Amigas
* Dominique - Livros, filmes e músicas